segunda-feira , 15 julho 2019

Qual será o futuro do N900?

Não é um celular grande, é um computador pequeno!

Essa é uma pergunta que permanece sem resposta. Pra mim está claro que o N900 foi um divisor de águas na Nokia. Quando digo divisor, não estou falando em volume de vendas, mas sim no fato do sistema operacional Maemo do N900, estar sendo a base de desenvolvimento do MeeGo. O MeeGo, pra quem ainda não sabe, é o novo sistema operacional que está sendo criado a 6 mãos, entre Nokia, Intel e AMD. Durante muitos anos eu usei apenas a plataforma Symbian, e logo que comecei a usar a o Maemo, fiquei surpreso (positivamente) com a arquitetura do sistema operacional. Há cerca de 2 anos me disseram que a Nokia estava fazendo uma experiência de mercado, ao lançar o N97 e o N900 quase que simultâneamente, e baseado na reação do mercado e do público, eles começariam a trabalhar em algo novo. Na época não dei muita bola, mas hoje vejo que essa pessoa estava certa.

A plataforma Maemo / MeeGo, que é baseada em linux, tem uma série de vantagens sobre o tradicional Symbian. Não que o Symbian seja ruim. O Symbian ficou um tempo estagnado, e por isso a Nokia perdeu uma fatia importante de mercado. Vale lembrar que diferente do que muita gente acha, a Nokia ainda é líder tanto nos números globais de celulares, como no mercado de smartphones. A Nokia só não é lider nos EUA, e isso causa uma confusão na cabeça das pessoas, já que muita coisa que lemos na internet foi escrita na terra do Tio Sam. Ainda referente ao Symbian, a Nokia conseguiu melhorar muito o cenário da plataforma com a versão Symbian ^3 do N8, E7, C6 e C7, mas isso fica pra outra hora.

Não é por acaso que a Nokia está apostando no MeeGo para continuar na liderança de mercado, e tentar frear o crescimento do Android. Considerando apenas o que vi no Maemo, já que sabemos muito pouco do MeeGo, tenho motivos de sobra pra considerá-lo uma baita plataforma. Quem quiser conhecer um pouco mais do Maemo, sugiro que vejam esse vídeo de demonstração do N900.

A expectativa é grande!

O N900 é um aparelho destinado a usuários avançados. É necessário um conhecimento dos comandos de linux, para realizar a maioria dos procedimentos. Para se ter uma ideia, é possível realizar overclock do processador, substituir a versão do kernel para habilitar a leitura de pen drives, acessá-lo através de um PC usando um terminal telnet, ou até mesmo instalar dois sistemas operacionais no celular criando um sistema de dual-boot. Enfim, são coisas que até pouco tempo eram inimagináveis de se fazer usando um celular, mas que o usuário comum, muitas vezes não tem a menor ideia do que são.

Com isso, o aparelho virou um celular de nicho, se tornando o sonho de consumo dos geeks de plantão. Eu costumo dizer que o N900 não é um celular grande, e sim um computador pequeno. Mas como o grande público não tem interesse pelo aparelho, houve uma baixa adesão dos desenvolvedores, e consequentemente a quantidade de aplicativos disponíveis pra ele é pequena se comparado ao Symbian, Android ou iPhone.

Em contrapartida, a Nokia marcou um belo gol com a estratégia de desenvolvimento de aplicativos através do QT. Não vou me estender sobre o tema aqui, mas vale entender que o QT irá faciliar a vida dos desenvolvedores. Um único código fonte poderá ser instalado em qualquer celular Nokia, independente do sistema operacional (Symbian, Maemo ou MeeGo), e sendo totalmente compatível com as características de hardware de cada aparelho. (Layout de teclado, touch screen e tamanho de tela). Isto quer dizer, que por tabela, o N900 tende a ganhar uma enorme quantidade de aplicativos no médio prazo. Infelizmente, pouca gente conseguiu ter essa visão, e muito pouco tem se falado sobre isso na web.

A plataforma aberta do N900 trouxe inúmeras vantagens que serão também contempladas pelo MeeGo. Tudo parecia estar resolvido se o N900 pudesse ser atualizado para o MeeGo, mas essa é que é a grande dúvida. A versão 1.1 do MeeGo (ainda muito prematura), já está rodando no N900. Porém, meses atrás a Nokia chamou a atenção do público, ao afirmar que “não haveria atualização oficial para o MeeGo nos celulares N900”. Isso gerou uma série de boatos e contradições e agora acaba de sair a informação que a versão 1.2 do MeeGo necessita de mais memória RAM do que o N900 possui.

Isso quer dizer que o N900 não suportará o MeeGo? Teremos uma versão light do MeeGo? Ainda é cedo pra ter essas respostas. Muito pouco se sabe sobre o MeeGo. O momento atual é do N8 e do Symbian ^3. Até para não atrapalhar as vendas dos produtos atuais, a Nokia tem evitado falar sobre o MeeGo publicamente. Claro, que isso não é muito bom para os usuários do N900, mas acho que se eu estivesse lá, adotaria a mesma estratégia.

E se tudo ainda der errado, é bom saber que o N900 suporta o Android. Já existe uma versão do sistema operacional do Google, portada para o N900 circulando pela web. Essa verão ainda não está completa, mas já é bastante funcional. Juntando essa informação com o sistema de dual-boot, acho que existe uma alternativa interessante para os usuários.

About igorlt

Twitteiro compulsivo formado em Rádio & TV. Usuário Nokia desde 1999 e expert em Mobile Payment.